O Amor é Paciente – Raphael Almeida

Categories: Artigos

“O amor é paciente, é bondoso…” Assim começa um dos versículos mais citados nas celebrações de casamento (1 Co 13:4). O amor é paciente. O que isso quer dizer? Como é que essa verdade afeta as nossas vidas?

Deus é amor. Deus não somente ama, mas podemos dizer que o amor é a essência de Deus. Quando estudamos sobre o amor, estamos, de uma certa maneira, buscando melhor conhecer a Deus. Portanto, podemos começar a entender o significado de “o amor é paciente” pensando em algumas maneiras em que Deus é paciente. O autor Dr. Harry Reeder escreve em um artigo “Deus é paciente. Eu não sou. Eu estou aprendendo paciência. Deus é paciência. Eu estou desenvolvendo paciência. Deus está demonstrando a dele.” Temos que olhar para Deus e sua Palavra, e não para dentro de nós mesmos ou para o que diz a sociedade se quisermos entender melhor o relacionamento entre amor e paciência.

A paciência é parte da identidade de Deus. Na Bíblia, Deus é descrito assim: “O Senhor é muito paciente e grande em fidelidade, e perdoa a iniqüidade e a rebelião” (Nm. 14:18). Descrições como são usadas em vários textos. O salmista, por exemplo, diz “Mas tu, Senhor, és Deus compassivo e misericordioso, muito paciente, rico em amor e em fidelidade” (Sl. 86:15). O povo de Deus reconhecia claramente que Deus é extremamente paciente com o seu povo. Esta paciência está diretamente ligada ao amor de Deus.

Jesus mostrou muita paciência com seus discípulos. Os discípulos de Jesus não eram pessoas “fáceis,” assim como nós também não somos. Uma conversa de Jesus com Filipe é um de muitos exemplos da paciência de Jesus. Depois de passar anos com Jesus, vendo inúmeros milagres e escutando Jesus ensinar dia após dia, Filipe diz para Jesus: “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta” (Jo 14:8). A resposta de Jesus é extremamente paciente e amorosa, explicando o relacionamento entre Deus Pai e Deus Filho.

Deus continua exercendo paciência. No primeiro século da igreja, muitos começaram a duvidar que Jesus realmente voltaria. A expectativa era que Jesus voltasse em breve, talvez depois de alguns meses ou anos. Mas Pedro, que também experimentou a paciência de Jesus depois de negá-lo, escreve “O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Ao contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento” (2 Pe 3:9). Jesus ainda não voltou porque Deus é paciente com os que ainda não se arrependeram e decidiram seguir Jesus como senhor e salvador.

O mesmo texto que nos ensina que Deus é amor também diz que “quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (1 Jo 4:8). Como seguidores de Jesus, temos o amor de Deus como referência para nossas vidas. Não podemos deixar o amor de Deus de lado, ou corremos o risco de entrar em nada mais do que um ciclo de auto-ajuda, buscando a virtude da paciência.

A verdade é que não conseguiremos amar da maneira que Deus deseja por nossos próprios esforços. Conforme buscamos ser mais parecidos com Jesus, através do Espírito Santo, Deus nos dá cada vez mais a capacidade de amar. A presença do amor em nossas vidas supera aspectos destrutivos de nosso caráter, incluindo a nossa impaciência. Que Deus desenvolva em nós este amor que é paciente, e que através dele sejamos luz para as pessoas ao nosso redor.

Em Cristo,

Raphael Almeida